Motivos para Castrar o seu cão ♥

Os animais castrados têm menor probabilidade de desenvolver um comportamento agressivo, agitado e, muitas vezes, a castração é indicada com essa finalidade. Listamos abaixo alguns dos benefícios da Castração :  
 

Prolonga a vida ♥
 

"A castração aumenta a vida do animal em pelo menos cinco anos", estima o veterinário Marcelo Conte, do Hospital Veterinário Sena Madureira, em São Paulo. Alguns fatores contribuem para que o animal castrado viva mais. Ao prevenir doenças, o procedimento reduz a chance de cirurgias na velhice, quando o risco é maior. A mudança comportamental também entra na conta. O gato castrado fica mais tranquilo e acaba saindo de casa com menos frequência — e, assim, se expõe menos a situações de risco, como brigas, atropelamentos e maus-tratos dos vizinhos.

Porque devemos castrar os machos?

  • Evita fugas.

  • Evita latidos excessivos

  • Evita o contrangimento de cães "agarrando" em pernas ou braços de visitas.

  • Evita a marcação do território (xixi fora do lugar).

  • Evita a agressividade motivada por excitação sexual constante (impulso biológico para a perpetuação da espeécie)

  • Evita tumores testiculares e câncer de próstata.

  • Evita o aumento do número de animais de rua (quando o seu cão dá uma ''voltinha, ele irá atrás de fêmeas no cio que estão nas ruas)

  • Evita a perpetuação de doenças genéticamente transmissíveis como epilepsia, displasia coxo-femural, catarata juvenil, etc.. (em animais que tiveram o diagnóstico dessas e outras doenças).


Se levarmos em conta quantas vezes um animal macho terá oportunidade de acasalar durante toda a sua vida reprodutiva, seria mais conveniente diminuir sua atracção sexual pelas fêmeas, através da castração. O animal "inteiro" excita-se constantemente a cada odor de fêmea no cio, sem que o acasalamento ocorra, ficando irritado e bastante agitado, motivando a fuga de muitos.

 

Porque devemos castrar as fêmeas?

  • Evita acasalamentos indesejáveis, principalmente quando se tem um casal de animais de estimação.

  • Evita o cancro nas glândulas mamárias na fase adulta.

  • Evita PIOMETRA (grave infecção uterina que leva à morte se não for tratada) em fêmeas adultas.

  • Evita as "gravidezes psicológicas" e suas consequências como infecção das mamas.

  • Evita cios. (Período que dura até 30 dias)

  • Evita o aumento do número de animais de rua. (Que vem crescendo constantemente pela falta da posse responsável)

  • Evita a perpetuação de doenças genéticamente transmissíveis como epilepsia, displasia coxo-femural, catarata juvenil, etc.. (em animais que tiveram o diagnóstico dessas e outras doenças)
     

  • Evita o aumento do número de animais de rua. (Que vem crescendo constantemente pela falta da posse responsável)

  • Evita a perpetuação de doenças genéticamente transmissíveis como epilepsia, displasia coxo-femural, catarata juvenil, etc.. (em animais que tiveram o diagnóstico dessas e outras doenças)


É errado o conceito de que a castração só deve ser feita em cadelas de rua.

Se o proprietário não tem intenção de acasalar sua fêmea, seja ela de raça ou não, é desnecessário enfrentar-se cios a cada 6 meses, riscos de gravidez indesejável e, principalmente doenças como cancro de mama e piometra. A castração garante uma vida adulta bastante saudável para as fêmeas e tranquila para os donos.

CUIDADO! IMAGENS FORTES!

Esta doença se chama Piometra:

Auxiliei esta cirurgia de Emergência com Risco Altíssimo de Morte da Fêmea (conforme foto). Abaixo podemos ver o tamanho em que o útero estava no momento da retirada. Toda e qualquer cadela não castrada corre o risco de contrair esta doença terrível.

 

*A castração é a única solução para evitar a piometra!*

Lembrando que: O útero das cadelas de porte médio tem um tamanho de aproximadamente 3 cm! Olhem o tamanho em que o útero fica em processo de Piometra (infecção). A vida da sua companheira canina vale uma "ninhadinha"? Pense sobre isso.

Motivos para não cruzar o seu Golden

 

Infelizmente, a maioria das pessoas quer cruzar o cachorro e se recusa a castrá-lo. Ou até querem castrar, mas querem que o cachorro cruze pelo menos uma vez na vida.
 
Vamos mostrar pra vocês os motivos pelos quais as pessoas querem cruzar seus cães e porque não deveriam fazer isso. Quem sabe depois de ler essa matéria, você desista de cruzar o seu cachorro e faça pra ele o maior bem do mundo: a castração.

 
    5 razões pra você nunca cruzar o seu cachorro:

 
   1. “Meu cachorro é o melhor cachorro que eu já vi!”

 
   Esse é o motivo número 1 porque alguém decide cruzar seu cachorro. E queremos que saiba que acreditamos em você. Provavelmente ele é o melhor cachorro do mundo. Todo mundo que tem cachorro acha isso, pois eles são mesmo seres incríveis.
 
   Porém, TODO MUNDO sente isso em relação ao seu cachorro. E esse é um péssimo motivo pra cruzar o seu cão. Pra começar, você vai colocar no mundo vários filhotes e estará impedindo que cães de abrigos sejam resgatados.
 
   “Ah, mas eu quero um netinho porque meu cachorro é perfeito e eu quero um netinho dele”. Entendemos. Infelizmente a vida dos cães é muito curta e ficamos tristes ao pensar que eles não ficarão décadas conosco. Mas aqui vai um alerta: você não vai ter um cão igual ao seu só porque é filho dele. Irmãos nascem e são criados dos mesmos pais e mesmo assim são muito diferentes. Isso acontece também com os cães. Eles podem nem se parecer fisicamente, quem dirá no temperamento.

 

   O temperamento é moldado por genética, mas grande parte é criação, experiências da vida do cachorro e individualidade. É impossível termos um cão igual ao outro.
 
   Inclusive, você pode acabar com um cão que deixe você muito frustrado. Primeiro, você pode não ter uma conexão com esse filhote. A relação entre humanos e cães também é química e é inevitável que a gente se sinta mais conectado a um cão do que a outro. Você vai esperar que esse filhote faça o que seu antigo cachorro fazia, que ele se pareça com ele e tenha uma ligação com você como você tinha com o antigo cão. Mas nada disso pode acontecer. As chances disso acontecer são as mesmas do que se você tiver um cachorro que não é filhote do seu cão.

 
   2. Todos os seus amigos querem um cachorro
 
   Não, não querem. Sim, eles te falaram que querem muito um filhotinho quando o seu “der cria”. Eles estão sentados agora no conforto do lar e dizem “claro que eu quero um filhotinho da Lola!”. Mas, não é verdade. A chance de uma pessoa que diz que quer um cão REALMENTE ficar com um filhote é mínima. Já explicamos em um artigo as 20 razões pra não ter um cachorro. Ter um cão não é fácil. Envolve muita coisa. Envolve dinheiro, sacrifícios, tempo, energia, disposição. Falar que quer um cachorro é fácil, realmente se comprometer a ter um, é muito difícil.
 
   Outra coisa que pode acontecer: os amigos aceitam um filhote, aquela coisa fofinha e peluda, afinal, foi de graça ou quase de graça, por que não pegar um? Mas, na prática, não aguentam ter um cão em casa, não tem tempo pra cuidar, e acabam abandonando, doando ou revendendo.

 

   3. O cachorro é de uma ótima linhagem
 
   Sim, cães comprados em criadores sérios e experientes são normalmente de ótima linhagem, mesmo que seja para venda como pet e não para serem matrizes ou padreadores. Mas vir de uma boa linhagem não significa que o cão seja bom o suficiente, tanto na aparência quanto no temperamento, para ser reproduzido.
 
  Dizer que um cão pode procriar porque é de uma ótima linhagem é o mesmo que dizer que uma pessoa é bonita porque os pais dela são bonitos. Isso não quer dizer nada. Pais de ótima linhagem podem gerar filhotes que não são adequados pra cruza.
 
   Ter pedigree não garante uma boa ninhada!

 
 
   4. Meu cachorro é macho e precisa cruzar
 
   Para começar seu cachorro macho vai ter que cruzar com uma fêmea e isso a fará ficar prenha, que gerará dezenas, centenas de filhotes no mundo. A maioria dos cães machos jamais irá reproduzir, pois os donos de cadelas fêmeas normalmente não querem. Não querem ter o trabalho, não querem os gastos, não querem submeter a cadela a uma gravidez de risco correndo o risco de morrer.
 
  “Meu cachorro precisa cruzar pra se acalmar”. Isso irá piorar tudo. Na natureza, cães alfas machos cruzam com todas as cadelas da matilha. Isso significa que ele irá cruzar várias vezes na semana, no mês, no ano. E até aí tudo bem. Porém no mundo urbano e real em que vivemos, um macho irá cruzar uma vez ou outra e só. Isso vai aumentar sua frustração, pois irá desencadear uma produção hormonal sexual e ele ficará mais agitado querendo cruzar mais vezes, o que não é possível na prática. Cruzar não acalma um cachorro, apenas deixa-o mais nervoso. O que acalma um cachorro sexualmente falando é a castração.

 
 
   5. Preciso de um dinheiro extra
 
   Criar cachorro não dá dinheiro. Claro, as pessoas pensam “R$2.000 cada cachorro em uma ninhada de 7 filhotes, isso são R$14.000″. Mas não é bem assim que funciona.
 
   Vamos aos custos pra cruzar seu cachorro:

 

- Vacinas no macho e na fêmea

- Vacinas nos filhotes até 2 meses de idade

- Vermífugo para a mãe e os filhotes

- Acompanhamento veterinário da cadela grávida durante 2 meses

- ultrassom

- Parto da cadela (e se for cesariana, o valor aumentará consideravelmente)

- Vitaminas e suplementos para a cadela durante a gestação

- Tapetes higiênicos em grande quantidade para quando os filhotes nascerem até 2 meses

 
   Em geral, é quase impossível lucrar com a venda de filhotes, claro, se a pessoa for consciente e fizer tudo corretamente. É sempre mais barato comprar um filhote, caso você queira um segundo cachorro, do que cruzar seu cão pra ficar com o filhote.

 


   Em resumo, se você pensa em cruzar seu cão, tenha em mente suas responsabilidaes:

 

- Terá que cuidar dos filhotes 24h, são como crianças sem fraldas;

- Os filhotes comem de três em três horas, portanto você tem que monitorar para que todos amamentem por igual;

- Limpeza constante do ambiente e dos filhotes, pois fazem suas necessidades, passam por cima e sobem uns nos outros;

- Fazem xixi por todo ambiente quando começam a andar;

- Dar suplementação para a mãe dar conta de amamentar os filhotes quando são muitos;

- Pode ter sua cachorra morta no parto;

- Os filhotes terão que ir embora e você não pode se apegar;

- Devido a falta de um Canil registrado, você pode demorar muito para vender, isso se não tiver que simplesmente entrega-los;

- Pagar um veterinário para vermifugar e vacinar toda a ninhada. A vacina deve ser a importada;

- Após o desmame, dar ração especifica para filhotes a um custo bem elevado;

- Isso, nos primeiros dois meses.

 

Claro, mesmo que sua cadela seja de um bom Canil, com pedigree e ótima linhagem, ainda corre o risco de seus filhotes terem:

 

- Câncer;

- Epilepsia;

- Displasia coxo-femural;

- Problemas cardiacos;

- Atrofia progressiva da retina, catarata;

 

                                               Isso pode acontecer por que ?

 

Porque seu cão, apesar de ser o mais maravilhoso do mundo, seu melhor amigo e vários amigos pediram para você cruzar, não se esqueça:

 

• Os cães promissores para reprodução são os de primeira e segunda escolha que ficam com o canil, sendo vendidos posteriormente para essa finalidade, ou seja, você provavelmente irá comprar um cão para companhia, nesse caso já não é indicado e apropriado para o acasalamento.

•  Cães comprados em Canis, descendem de matrizes. As matrizes são cães em sua exelência nos quesitos da raça. Isso significa que o seu filhote sem uma linhagem excelente não devem ser cruzados;

• A sua contra-parte na cruza tem as mesmas procedências? Se não tiver, simplesmente os filhotes não serão no mesmo padrão do seu cão. A cruza serve além de poder oferecer os filhotes, ter o compromisso da melhoria da raça conforme a CBKC/FCI

• A responsabilidade do filhote e de suas possíveis doenças congênitas, é sua.


        Cachorro não precisa namorar! - Entenda porque essa informação é um mito

 

   Pouco importa quais sejam os cães: de raça, mestiço, vira-lata… Existem sempre proprietários querendo acasalá-los.
 
   Nas redes sociais chovem fotos de bichos com a frase batida: “preciso de um namorado(a).” Não, não precisa! Para os animais não existe sofrimento pela abstinência sexual, eles não pensam em sexo, nem no parceiro, nem como ter mais satisfação, etc. Estas questões são exclusivamente humanas.
   Animais agem por instinto, que atua tal como um alarme que dispara e avisa o que eles têm que fazer naquele momento, por exemplo: “sede, então agora é hora de procurar água”; “cio, então agora é hora de acasalar”.
   Não há vontade de transar, envolvimento emocional, amor, afeto, nada, é tão somente uma reação mecânica a um impulso. Se cães (gatos, outros) tivessem libido ou prazer, cruzariam em qualquer momento fora do cio, o que todo mundo sabe que não existe!
   São movidos exclusivamente pelo instinto, não tem nada a ver com “vontade de ser pai/mãe” e muito menos de ter prazer; será com qualquer cadela no cio: velha, nova, feia, gorda, pequena, grande, vira-lata ou de raça definida… O instinto é mera atuação de feromônios e sem eles a vontade passa. Se houvesse prazer (como nós possuímos) eles fariam pelo prazer.
    É um conceito bem simples e fácil de compreender, mas se torna um obstáculo intransponível quando surge o tema: castração de animais. Os argumentos contrários utilizados são sempre como se os animais agissem por vontade própria, como ocorre no caso dos seres humanos.
   Acontece que é diferente, é matemática: sem órgãos reprodutores, o alarme não toca e pronto, nenhum sofrimento para eles. 
   Os donos, logo em sequência, apresentam a justificativa que precisam de um herdeiro (ou “netinho” ou “lembrança”) do seu querido bichinho de estimação. Como assim? Cada animal é único, para ter outro igual, só através da clonagem. Do contrário, por acasalamento, os filhotes serão diferentes entre si em aparência e temperamento, por causa da combinação aleatória de genes dos pais.
 
   Por último, apelam para o clichê “o cachorro é meu, tenho direito de tirar uma ninhada”. Por acaso não vivemos em sociedade? Podemos fazer absolutamente tudo que pretendemos, sem medir consequências de nossos atos, como se fossemos uma criança mimada e birrenta? Se já existe um excesso de animais nas ruas, a consciência de responsabilidade social e de cidadania impõe que as pessoas não saiam por aí reproduzindo seus bichos como se não houvesse problema nenhum. Estatisticamente, a cada ninhada de dez animais, nove não serão adotados, sejam eles de raça ou não.
   É fundamental que os proprietários assumam suas obrigações: de amar, de respeitar e de promover bem estar físico e mental de seus amigos de estimação pelo que são e não pelo que podem vir a produzir.
   Se ainda assim não ficar claro a importância da castração de animais de companhia como um dever de todos que convivem em sociedade, fica o convite àqueles que têm interesse em reproduzir seus bichos: visitem abrigos, centros de zoonoses municipais e protetores independentes. Poderão conhecer de perto o sofrimento de muitos animais que foram abandonados porque vieram ao mundo sem motivo algum, tão somente por capricho humano.

 

   Deixem a criação de cães para pessoas sérias, que estão preparadas e querem agregar e melhorar a raça, só assim teremos cães belos, dentro dos padrões e saudáveis!
 

Fonte: Tudo Sobre Cachorros  - http://tudosobrecachorros.com.br